Durante a manhã desta segunda-feira (24), médicos, diretores e pacientes transplantados do Hospital São Francisco na Providência de Deus (HSF) se reuniram para abrir a IV Semana da Doação de Órgãos do HSF. Iniciando a programação, o diretor do Hospital, Frei Paulo Batista, fez questão de lembrar daqueles que, em um momento de dor, doaram os órgãos de entes queridos para que a vida pudesse continuar. “Cada órgão tem várias histórias que o circundam. Por isso, queremos sempre fazer o melhor e avançar dentro no nosso serviço, não só para alcançar números e recordes, mas para cuidar do que é precioso, o milagre da vida. Queremos, hoje, homenagear todos aqueles que possibilitaram nosso serviço acontecer”, afirmou. Frei Paulo terminou sua fala apresentando o vídeo que pode ser conferido ao final da matéria.

As apresentações do dia tiveram abordagem técnica e levantaram questões importantes. Em sua palestra, o coordenador do programa de transplantes do HSF, o médico intensivista Eduardo Pinto apresentou dados notáveis sobre o HSF em relação ao Sistema Nacional de Transplantes: até o dia 10 deste mês, o Centro Avançado de Transplantes de Órgãos e Tecidos realizou 1101 transplantes renais, 448 hepáticos e 42 de córnea. “Tenho muito orgulho de participar deste time”, celebrou o médico. Os números colocam o hospital como a unidade que mais realiza transplantes renais no Rio de Janeiro, ocupando o quarto lugar no ranking nacional da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO). Já em relação aos transplantes hepáticos, o HSF é a segunda maior unidade transplantadora do estado.

A hepatologista Samanta Basto chamou atenção para uma discussão importante: a realização de transplantes como tratamento para a febre amarela. Segundo a médica, esta técnica é nova e precisa ser mais bem estudada, assim como a doença, que é ainda bastante desconhecida pela literatura médica. Fechando as apresentações, o chefe do Serviço de Transplantes de Fígado, o cirurgião Eduardo Fernandes, que é, desde 2016, o médico que mais realiza transplantes de fígado em todo o país, falou sobre os avanços na técnica da captação e sobre a importância da sustentabilidade do serviço de transplantes de órgãos em todo o Brasil.

O encerramento do dia ficou a cargo do Frei Francisco Belotti, presidente da Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus, que lembrou a missão da entidade, mantenedora do HSF: a preocupação com a vida humana. “O transplante de órgãos é um ato de amor à vida, tanto para aqueles que doam quanto para aqueles que recebem. Por isso, cumprimento a todos, quem doou, recebeu e quem trabalha e se empenha diariamente para que os transplantes aconteçam”, finalizou.

Confira as fotos e o vídeo!

 

 

_semana_doacao_orgaos_cartaz_02